ACEU – 60 ANOS DE HISTÓRIA

(By Sandra Hiraga)

A comunidade nipo-brasileira e a sociedade umuaramense comemorou de 2017, o Jubileu de Diamante da ACEU – Associação Cultural e Esportiva de Umuarama. São 60 anos de uma trajetória de muito trabalho, de muita luta e de conquistas ao longo desses anos. ACEU é sinônimo de tradição, pois nasceu junto com a colonização de Umuarama, que sobreviveu mesmo perante inúmeras dificuldades, cresceu com a cidade e viu sua gente labutar dia a dia na construção e no progresso da Capital da Amizade.

Amizade não é somente o símbolo da cidade, é, acima de tudo, a união, o companheirismo, a irmandade dos pioneiros que desbravaram essas terras ainda virgens para, no lugar escolhido, constituírem suas famílias, fixarem seus trabalhos, escreverem as histórias de suas vidas. E o começo desta história foi quando um grupo de japoneses e descendentes se reuniram e decidiram criar uma associação voltada para a colônia nipônica daquela época. O ano era 1957. De lá para cá, muita coisa mudou, inclusive o nome que, a princípio se chamava AREU – Associação Recreativa de Umuarama. Somente em 1967 é que passou a ser chamado pelo atual nome: ACEU.

O primeiro evento realizado pela nova associação sob a presidência do saudoso Taira Sakumoto foi o Shogatsu (Ano Novo), em 1º de janeiro de 1958. Nessa data foi oficializado o Nihonjinkai.

Sobre a nova associação, pode-se dizer que começou timidamente, os jovens integrantes trabalhavam duramente em uma região que acabara de ser colonizada, as dificuldades do começo sobrepunham, sobretudo na falta de recursos financeiros, falta de experiência. Sobravam coragem, força, determinação, persistência herdadas dos ancestrais nipônicos. Teve como a primeira sede localizada à Rua Paysandu, atual Rua Ministro Oliveira Salazar, com apenas 20 famílias associadas.

A nova associação passou a existir com poucas associações independentes que foram aumentando ao longo dos anos, sendo assim dispostos:

  • Seinenkai: Associação dos jovens em 1958, que, a princípio, era composta apenas por homens, sendo o primeiro presidente Massayuki Okumura.
  • Jyoseinen: Associação de moças solteiras, em 1960 com 15 pessoas, tendo como a primeira presidente Helena Okumura. ?
  • Fujinkai: que iniciou com o nome de Haha no Kai, em 1962. Kimie Watanabe foi a primeira presidente. Somente em janeiro de 1975 é que passou a ser Fujinkai, sendo presidida nessa época por Helena Oda.
  • Umuarama Nihon Gakko: abriu as portas em 1962 pelo Sensei Keizo Yoshikawa e esposa Kimie Yoshikawa.

Em fevereiro de 1963, foi formada a Liga Desportiva Oeste Paranaense, entidade que hoje é formada pelas seguintes cidades: Assis Chateaubriand, Goioerê, Campo Mourão, Cascavel, Cianorte, Cruzeiro do Oeste, Foz do Iguaçu, Guaíra, Terra Boa, Terra Roxa, Toledo e Umuarama que é a cidade sede da Liga.

  • Umuarama Bunkyo Kai: começou a reunir os budistas em junho de 1963 com o Monge budista Kiyoji Saiki.
  • Kotobuki: Associação dos senhores de mais idade, em 31 de março de 1968. O presidente era o senhor Watanabe Sakuo. 

O Tradicional Yakissoba

O Yakisoba, um prato típico da culinária oriental, já virou sinônimo de tradição na ACEU, onde é servido ao longo do ano em 6 datas específicas. Tomou iniciativa de fazer esse prato, o Fujinkai, na presidência da senhora Nilza Wada. No primeiro evento, foram servidas 350 porções. Na gestão do senhor João Izumi, em 1991, é que passou a fazer parte da ACEU com a colaboração de todos os associados e familiares, com 600 porções.

 

Eventos do Clube

Além do yakisoba, fazem parte dos eventos tradicionais da Associação;

O Shinnenkai, que é uma festa de boas vindas do Ano Novo;

O Undokai, uma gincana esportiva familiar que acontece no mês de maio;
Jantar do Dia das Mães em homenagem a essas mulheres maravilhosas que fazem parte da Associação;
Jantar do Dia dos Pais, homenageando todos os pais dos associados;
Kodomo no Hi, evento em homenagem as crianças; 
O Bonenkai, uma festa de confraternização de final de ano, trata-se de um evento para purificar o espírito.

Departamentos 

Quanto aos departamentos que a ACEU possui hoje estão o Fujinkai, o Guetobol, o Futebol,  o Taikô, a Ala Jovem, o Karaokê, a Cacheta, o Odori e o Basebol.

Atualmente, é oferecido aos associados a piscina e a academia de ginastica.

A Casa do Estudante, que hoje oferece alojamento completo para estudantes, foi uma conquista na gestão do senhor Carlos Hajimi Narata; trata-se de uma obra idealizada e patrocinada em conjunto pela ACEU e Japan International Cooperation Agency – JICA, com a colaboração dos estudantes nipo-brasileiros do Oeste do Paraná.

Eventos

Salienta-se que Umuarama sediou, em 2016, o 29º Simpósio da Juventude Nikkey, reunindo jovens e adolescentes da Liga Oeste Paranaense para um encontro de dois dias, com o objetivo de estreitar e fortalecer os laços de amizades entre as comunidades nikkeys e, principalmente, manter e preservar a cultura japonesa. Nesses dias aconteceram gincanas, confraternização e interação entre os jovens, palestras motivacionais e oficinas abordando assuntos específicos do dia a dia, Matsuri Dance e Balada Nikkey.

Em Setembro de 2017, Umuarama sediou o Seminário do Fujinkai.
Uma conquista relevante para toda a comunidade nipo-brasileira é a sanção da Lei 2.680, de 28 de abril de 2005 pelo então prefeito Luiz Renato Ribeiro que instituiu a comemoração do Dia da Imigração Japonesa no calendário do Município de Umuarama anualmente no dia 18 de junho. A autoria do projeto é do então Vereador Cayo Toshihiro Nishigawa.
Contribuições importantes deram os desbravadores, movimentando o comércio local e trabalhando na agricultura, em cerealistas, cafeeiras, banco, postos de gasolina, bares, construtoras, bazares, lojas de ferramentas, farmácias, escritório de serrarias, hotéis, tinturaria, confeitaria, secos e molhados, auto elétrica, mecânica, agência de viagem, ou ainda, exercendo as funções de costureira, alfaiate, advogado, de funcionário público, professor, médico, dentista, caminhoneiro, taxistas. Temos ainda representações da comunidade nipo-brasileira que trabalharam em prol do desenvolvimento de Umuarama, nomes que ocuparam e se destacaram em cargos na Prefeitura, Câmara de Vereadores e na Assembleia Legislativa.
Apesar do fluxo migratório inverso que ocorreu em fins dos anos 80 com a debandada de japoneses e descendentes residentes na região para o Japão, em virtude da crise econômica que assolava o país, Umuarama ainda conta com um número expressivo de famílias que atuam na agricultura, pecuária, educação e cultura, ciência e tecnologia, culinária, saúde, artes e literatura.

Enfim, foram tantas as transformações, a evolução dentro da Associação nesses anos que se passaram; tantas as lembranças que só o coração de quem viveu parte dessa história é que sabe das dificuldades, das lutas para manter a entidade em pleno funcionamento, da importância da ACEU para o progresso do município, contribuindo dentro do contexto sócio-cultural-econômico e político.
A ACEU desenvolve a continuidade do trabalho de seus antecessores para que, cada vez mais, haja essa união, mantenha a cultura nipônica, fortaleça a determinação, a bravura, coragem dos pioneiros, engrandeça a comunidade atuando com paciência, organização, honra e dignidade e, acima de tudo, entrelaçando a amizade entre brasileiros e nipo-brasileiros.